Curiosidades           

A palavra “perfume” deriva do latim “per fumum”, que significa “pela fumaça”; e a palavra “incenso”, do latim “incensu”, significa “atear fogo”.

Antes mesmo de dominar o fogo, o homem conheceu os perfumes que exalavam das florestas em chamas e, assim, teve o seu primeiro contato e inspiração no sentido de se relacionar com os poderes dos cheiros e das fumaças.

Muito tempo depois, quando dominou o fogo, ele passou a queimar, deliberadamente, essas madeiras e folhas, subtraindo o aroma que havia percebido na própria natureza. Assim, o incenso passou a fazer parte da sua vida.

Como pudemos ver, o incenso é parte integrante dos primeiros momentos do surgimento da humanidade. Quando as primeiras civilizações e impérios foram surgindo, a história mostra que o incenso sempre esteve presente. Egípcios, gregos, romanos, árabes, judeus, indianos, chineses, entre tantos outros povos e épocas, fizeram largo uso deles, o que se mantém até os dias de hoje.

Independentemente da sua origem e da sua utilização no passado, atualmente as pessoas utilizam o incenso para harmonizar não só o seu próprio interior, como também o ambiente, buscando criar uma atmosfera de paz, equilíbrio e prosperidade.

O incenso é atemporal e universal, um verdadeiro elo entre o homem exterior e o homem interior.